VIENA: Guia sobre transportes, alojamento, atracções turísticas, dicas e curiosidades!

Viena é conhecida por ser a cidade da música, a cidade dos sonhos, a cidade da cultura e das artes, a cidade imperial e por várias vezes já foi considerada a melhor cidade do mundo para se viver! Adorei conhecer Viena no Outono pois as cores são incríveis e apesar do vento ser mais forte e frio daquele a que estamos habituados, o sol esteve presente todos os dias! Depois de já ter publicado o meu Roteiro de Viena, achei por bem escrever outro artigo com mais dicas e curiosidades sobre a cidade que vão certamente interessar a quem quiser viajar até Viena!

Dicas e curiosidades:

Ópera de Viena – Wiener Staatsoper
  • A Áustria faz fronteira com 8 países: Republica Checa; Alemanha; Hungria; Itália; Liechtenstein; Eslováquia; Eslovénia e Suíça!
  • Viena tem mais de 100 museus!
  • O Palácio de Schönbrunn tem mais de 1440 quartos!
  • O Zoológico de Viena, Tiergarten Schoönbrunn, fundado em 1752, foi reconhecido como o mais antigo do mundo!
  • Os globos de neve foram inventados em Viena em 1900 por Erwin Perzy!
  • O famoso “Croissant” foi criado por pasteleiros em Viena em 1638 e mais tarde Marie Antoinette, casada com o rei Louis XVI, apresentou em França o seu bolo favorito e algumas mudanças depois o croissant ficou conhecido pelo mundo!
  • A água da torneira é potável, vem directamente dos Alpes e por isso segura para ser bebida e existem cerca de 900 fontes e bebedouros espalhados pela cidade!
  • “Tomar um café em Viena” é um pouco diferente de quando o fazemos em Portugal! O café faz parte da cultura vienense e foi até elevado a Património Cultural e Imaterial pela UNESCO! Em primeiro lugar a lista de cafés a escolher em Viena é enorme e mais uma vez, “há para todos os gostos e carteiras”! Geralmente o café vem acompanhado de cubos de açúcar e um copo de água! É normal pedir um café e ficar sentado horas a ler um jornal, a conversar… e ninguém é julgado por isso, faz parte da cultura!
  • Ao pagar a conta, é preciso ter cuidado… em primeiro, nunca pomos o dinheiro em cima da mesa, entregamos sempre na mão do colaborador, a gorjeta faz parte do processo e por isso nunca entregue o dinheiro e agradeça antes de receber o troco, porque se o fizer a pessoa que está a servi-lo vai assumir que o troco é a gorjeta! Confuso?!… Vou dar dois exemplos: Imagine que quando pede a conta, são €8 a pagar e dá uma nota de €20… se ao entregar a nota de €20 disser obrigado, o empregado vai assumir que o que sobra é gorjeta!! Espere então que o troco seja devolvido, dá a gorjeta que achar “justo” e depois sim agradece!! Ou então imagine que a conta é €18 e dá uma nota de €20 para pagar… entrega a nota e agradece e vai reparar que quem o serve agradece e não volta mais à mesa para lhe devolver os €2 que foram assumidos como gorjeta…
  • Ao usar os transportes públicos vai reparar que não existem barreiras ou torniquetes ou o que quer que seja para poder ter acesso aos transportes, existem apenas máquinas para validar os bilhetes. No entanto espero que ninguém assuma que se pode viajar de graça porque pode sempre aparecer uma equipa de fiscais para verificar se as pessoas têm ou não os bilhetes e se não tiverem pode sair muito caro… eu comprei um passe semanal e nunca precisei de validá-lo ou de o mostrar, mas esteve sempre presente em cada viagem na minha carteira!
  • Apesar de ter ido acompanhada, Viena é sem dúvida uma cidade para quem gosta de viajar “solo”, é muito segura e tranquila! E por várias vezes já foi considerada a melhor cidade do mundo para se viver!

Viagens & Transportes Públicos:

Catedral de São Estêvão – Domkirche St. Stephan
  • As viagens de avião foram feitas com a Ryanair com voos directos do Porto para Viena e vice versa.
  • Pelo que tenho acompanhado, os casos positivos aumentaram bastante em menos de um mês, no entanto quando viajei, na 2ª quinzena de Outubro, apenas precisei do Certificado de Vacinação Covid e no regresso preenchi o “Passenger Locator Card” para a DGS. O uso de máscaras FFP2 é obrigatório em Viena.
  • Do aeroporto de Viena até ao centro existem várias opções e eu escolhi a mais barata! Como o aeroporto fica a cerca de 20 km do centro de Viena são precisos 2 bilhetes para a viagem de comboio. Um bilhete que represente a periferia e o outro o centro da cidade. Ainda no aeroporto dirigi-me ao balcão da ÖBB (Ferrovia Federal Austríaca) que está em funcionamento até às 21h30 e comprei o bilhete para o S7 para a periferia mais um passe semanal, já que iria usar os transportes públicos com bastante frequência durante a minha estadia. O balcão da ÖBB é facilmente reconhecido porque para além da sigla ÖBB, é vermelho. E se por acaso este estiver fechado, existem máquinas de venda automática, com moedas, notas e cartão de crédito e são também de cor vermelha! O bilhete para circular na periferia custou €1,90 e a viagem de comboio dura cerca de 30 minutos!
  • O Weekly Pass, ou seja o Passe Semanal tem a duração de Domingo desde as 00h00 até Segunda às 08h59 e pode ser usado no metro, elétrico, comboio e autocarro as vezes que quiser e para além de custar €17,10, não é preciso validar de cada vez que faz uma viagem! Depois de o comprar apenas precisa de o guardar na carteira caso apareça algum fiscal!
  • Cada viagem individual (para o centro de Viena) custa €2,40 e o bilhete tem que ser validado antes da viagem!
  • A oferta de transportes públicos é enorme e o metro foi o mais usado por ser o mais prático e simples de usar!

Alojamento:

Hundertwasser Village

Há para todos os gostos e carteiras! Como eramos 3 amigas, decidi alugar um estúdio, pelo Booking, que ficava a cerca de 3 km do centro mas que tinha todas as comodidades para passarmos 5 noites confortáveis e tranquilas e por ter cozinha equipada permitiu-nos poupar imenso nas refeições! E o Lidl ficava a pouco mais de 200 metros do estúdio!

Atracções Turísticas Pagas:

Hundertwasser Museu
  • Todas as entradas que compro online são realizadas no site oficial dos locais e nunca por segundas vias…
  • A maioria dos bilhetes comprados têm uma validade prolongada sem haver necessidade de marcar hora e dia para as visitas, o que facilita muito na “construção” dos roteiros!
  • Na maioria dos museus não é permitido entrar com mochilas ou carteiras e casacos mais volumosos mas existem cacifos (lockers) onde colocamos uma moeda de €1 ou €2 que é devolvida ao levantarmos os objectos!
  • Ópera de Viena: foi o primeiro bilhete que comprei e em vez de fazer uma visita guiada ao majestoso edifício, achei por bem ir assistir a uma peça de ópera! A oferta é vasta e diária (ou quase diária) e os preços podem começar nos €15 e ultrapassar facilmente os €200! Comprei bilhetes para a Galeria por €15 e claro, a visibilidade é reduzida e para assistir a uma ópera ainda disfarça, mas se for para assistir a um ballet, não aconselho porque só dá para ver um canto do palco… Apesar de ter comprado online, decidi não imprimir porque assim tive oportunidade de entrar no Teatro Nacional (Burgtheater) para levantar os bilhetes e cada um deles vem personalizado com o nome de cada convidado! Para assistir ao evento, não é preciso vestido de gala, ou fato e gravata… mas também se formos demasiado desleixados (calças de ganga rasgadas, calções ou fato de treino) podemos, mesmo com bilhete, ser impedidos de entrar! Por isso, uma roupa mais formal é aconselhado!
  • Catedral de São Estêvão: A visita à Catedral é gratuita, mas limitada. Para quem quiser fazer a visita completa pode adquirir o All-Inclusive por €16 que é um bilhete que permite fazer as 4 visitas: visitar a catedral numa zona restrita por uma grade que dá acesso ao altar; visitar as Torres Norte e Sul e visitar as Catacumbas. O templo é lindíssimo e grandioso, no entanto acho que a parte gratuita que se pode visitar é o suficiente porque apenas existe uma grade a delimitar o espaço pago, não podemos entrar mas dá perfeitamente para ver através do gradeamento! Em relação às torres, a Torre Sul é a mais alta, no entanto 343 degraus nos esperam numa escada em caracol… enquanto que a Torre Norte apesar de mais baixa tem elevador até ao topo! E como os bilhetes foram comprados na catedral cada qual decidiu qual a torre que preferia visitar e a decisão foi unânime, visitamos a Torre Norte! Cada entrada individual tem o custo de €6, sejam as torres, a catedral ou as catacumbas.
  • Palácio Schönbrunn: é uma das visitas pagas que realmente aconselho! Tem uma oferta variada de bilhetes e preços para escolher! O visita mais barata é de €18, denominada por Imperial Tour e temos acesso a 22 quartos e a seguinte, a Grand Tour, tem o custo de €22 e dá acesso a 40 quartos e por aí fora os preços vão aumentando e claro os espaços a visitar também! Eu comprei os bilhetes para a Grand Tour e valeu a pena a diferença de €4 em relação à Imperial Tour! São mais 18 quartos onde a história é desenrolada em autêntica beleza e riqueza deste palácio! A visita, com dia e hora marcados, demora cerca de 1 hora e à entrada temos um áudio guia (incluído no preço do bilhete) que nos vai contando a história de cada divisão por onde passamos. Infelizmente não tem em português e eu peguei no áudio guia inglês e as minhas amigas usaram o de espanhol e conseguiram perceber bem! Os jardins do Schönbrunn são imensos e subir até à Gloriette é “obrigatório” pois as vistas lá de cima são fantásticas! Mesmo não visitando o palácio por dentro, o acesso aos jardins é livre e é grátis!
  • Kunsthistoriches – Museu de História da Arte de Viena: quando comecei a elaborar o meu roteiro, o bilhete custava €16 e três semanas depois quando fui comprar já custava €18… O museu é gigante e vale bem o preço que se paga pela qualidade e diversidade da história e arte que oferece! Ao comprar o bilhete não é preciso marcar o dia ou a hora!
  • Palácio Belvedere: é mais um daqueles locais que mesmo que não se visite o museu, vale muito a pena visitar os seus jardins e admirar as construções majestosas! O preço do bilhete, online, foi de €15,90 e o que realmente mais se destaca nesta exposição são as obras de Klimt, principalmente “O Beijo”. A visita é feita com dia e hora marcados.
  • Museu Hundertwasser: um museu completamente diferente que adorei conhecer e que recomendo muito! Sem hora e dia marcados, o bilhete custou €11.
  • Biblioteca Nacional Austríaca: é uma visita rápida e tem apenas uma sala, mas para mim fez todo o sentido visitá-la, no entanto tem um custo de €8. Sem dia ou hora marcados!
  • Museu Albertina: está sem qualquer dúvida no meu Top 3 de visitas pagas a conhecer em Viena! A qualidade e quantidade de arte oferecida vale muito os €16,90 que pagamos para entrar! Para além disso é um excelente miradouro para a Ópera e mais uma vez, o bilhete não impõe dia e hora marcados!
Voltar à Áustria faz parte dos meus planos porque apesar de ser um país pequeno tem muito para explorar e conhecer ! Deixo aqui o meu Roteiro de 4 dias com muitas dicas para ver e fazer e já só penso em planear a próxima viagem!

Para mais fotos e vídeos siga o meu Facebook e Instagram!

Até já! 😉

3 pensamentos sobre “VIENA: Guia sobre transportes, alojamento, atracções turísticas, dicas e curiosidades!

Deixe uma Resposta para Catarina Freitas Cancelar resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.