Porto e Gaia: roteiro de 1 dia

Roteiro de 1 dia pelas cidades do Porto e Gaia!

Apesar de já ter visitado o Porto e Gaia dezenas, ou melhor, centenas de vezes, pois pertenço ao distrito do Porto, desconheço um bocado estas duas cidades cheias de charme e história!! Por isso está na hora de conhecer alguns recantos das cidades e partilhar esta experiência!!

As ruas estão repletas de turismo e um bocado caóticas, por isso decidi ir de comboio até à Estação de São Bento, uma das mais belas da Europa e fica mesmo ali no centro da cidade!! 😉

A Estação de São Bento fica na Praça de Almeida Garret, inaugurada oficialmente a 5 de Outubro de 1896, célebre pelos seus painéis de azulejo que representam cenas passadas no norte do nosso país tais como: a Batalha de Arcos de Valdevez; a Entrada de João I no Porto; Vistas e Cenas Rurais e a História dos Transportes! Os azulejos foram produzidos na Fábrica de Sacavém e colocados por Jorge Colaço entre 1905 e 1906, o artista que afirmava ser o azulejador mais popular de Portugal!

Torre, Museu e Igreja dos Clérigos:

Apesar de não ter sido ponto de paragem e visita para mim, porque já conheço e já subi ao topo da Torre (e estas fotos são desse dia), este é sem dúvida um dos melhores miradouros da cidade e merece uma visita!!

Classificado como Monumento Nacional desde 1910, o conjunto arquitectónico Clérigos datam do século XVIII de inspiração barroca, é um local “obrigatório” para quem visita o Porto!! A subida à Torre exige um pouco de esforço, pois são 75 metros de altura subidos por 225 degraus, mas que nos oferece uma vista da cidade de 360º!!

Dica:

  • Visitar a Torre ao pôr do sol é também uma escolha bem acertada, como em qualquer miradouro!!

Antiga Cadeia da Relação:

A poucos metros da Torre dos Clérigos, está a Antiga Cadeia da Relação, um edifício cheio de histórias e actualmente alberga o Centro Português de Fotografia, por isso para os amantes de fotografia, aconselho!! Não só pelas exposições de fotografia mas também pela quantidade de material e máquinas fotográficas aqui expostas!! E é claro, pela história do edifício, que foi o que me levou até lá!

Datado de 1582 o edifício também conhecido por Paço da Rolaçon, reedificado em estilo neoclássico em 1767, com a sua fachada nobre que dá entrada para o Tribunal de Relação e a outra entrada, virada para a Cordoaria, construída para a entrada directa dos presos e que hoje é a entrada principal do edifício!

O interior é composto por três pisos, no primeiro situam-se as seis enxovias todas com nomes de santos: Santo António, São Vitor, Santa Rita, Senhor de Matosinhos, Santa Ana e Santa Teresa. No segundo piso os salões de Nossa senhora do Carmo e de São José e a Sala das Mulheres. No terceiro e último piso, as prisões individuais, conhecidas pelos “quartos da malta”, reservados para pessoas de estatuto social e económico elevados que podiam pagar para ter uma “estadia” mais confortável…

Por aqui cumpriram pena, nomes ilustres da história portuguesa, tais como: o escritor Camilo Castelo Branco, preso por adultério; o famoso salteador, Zé do Telhado; Ana Plácido, por adultério; o banqueiro Roriz; o professor da Universidade de Medicina, Urbino de Freitas, o caudilho miguelista Pita Bezerra e o jornalista e político João Chagas.

Em 1974 com a construção do Estabelecimento de Custóias, os presos foram transferidos para lá e a Cadeia da Relação deixou de desempenhar estas funções.

Entre 1999 e 2002 foi restaurado, dando lugar ao actual Centro Português de Fotografia!

A visita é feita livremente e é gratuita podendo visitar os três pisos!

Jardim de João Chagas:

“Treze a rir uns dos outros” e “Flora”

Também conhecido como o Jardim da Cordoaria, por causa dos cordoeiros (homens que faziam e vendiam cordas), um pequeno jardim, em frente à Antiga Cadeia, com bastante sombra, bancos para sentar descansar e com esculturas muito interessantes, tais como: o “Rapto de Ganimedes” de 1898 de Fernando Sá; “Flora” de 1904 de António Teixeira Lopes; “Ramalho Ortigão” de 1909 de Leopoldo de Almeida; “António Nobre” de 1926 de Tomás Costa e “Treze a Rir Uns dos Outros” de 2001 de Juan Muñoz.

Livraria Lello:

Construída em 1906 pelo Engenheiro Xavier Esteves, nomeada como a mais bela livraria do mundo, com a sua famosa fachada neogótica colorida, onde os seus painéis simbolistas representam as figuras da Arte e da Ciência, da autoria de José Bielman.

Já no seu interior, combinando o estilo Eclético e Art Noveau, deparámos com vários bustos, desde os seus fundadores: José Lello e António Lello; bem como importantes escritores portugueses: Eça de Queirós; Teófilo Braga e Camilo Castelo Branco!

A escadaria vermelha é um dos pontos mais atractivos deste espaço e que inspirou a autora de Harry Potter, J.K.Rolling para criar as escadas que se movem em Hogwarts!!

O emblemático vitral colorido no tecto com 8 metros de comprimento e 3 metros e meio de largura não deixam ninguém indiferente e aqui pode ler-se “Decus in Labore” que significa “Dignidade no Trabalho”!!

Os ornamentos no tecto e na escadaria são incrivelmente bonitos e apesar de parecer madeira talhada, na realidade é gesso pintado.

Não muito grande e lotada de pessoas, esta livraria é recheada de cor, encanto e beleza e merece com certeza uma visita!

Dica:

  • Mesmo comprando o bilhete online, este não dá prioridade na fila para entrar… eu comprei o bilhete no local, que fica numa loja, do lado esquerdo da livraria e felizmente a fila era pequena e foi bastante rápido para entrar. Se for mais do que uma pessoa, pode sempre ficar alguém na fila de espera, enquanto outra vai comprar os bilhetes!!

Igreja do Carmo e a Casa Escondida:

Enquanto está na fila para entrar na Livraria Lello, olhando para o lado esquerdo, já se pode observar a Igreja do Carmo com os seus painéis de azulejo azul e branco!!

A Ordem Terceira de Nossa senhora do Carmo, foi constuída entre 1756 e 1768 de estilo arquitectónico Rococó, em conjunto com a Igreja dos Carmelitas Descalços e classificada como Monumento Nacional a 3 de Maio de 2013 e a separar estas duas igrejas existe aquela que é considerada como a casa mais estreita do Porto!!

É uma visita muito interessante de fazer, com um custo simbólico de €3,50 que nos permite conhecer: a Casa Escondida; a Tribuna do Senhor dos Passos; o Auditório; a Igreja da Ordem Terceira do Carmo; as Antigas Catacumbas da Ordem do Carmo; o Salão Nobre, Antiga Casa do Despacho; a Sala dos Paramentos; a Sala dos Hábitos e a Sacristia.

Pensava que ia conhecer uma Igreja e talvez a Casa Escondida e no entanto a surpresa foi bem maior!! E apesar de ter muito para ver, a visita é bem delineada e não demora muito tempo!!

Jardim das Virtudes:

Depois de visitar a Ordem do Carmo, passei pelo Jardim das Virtudes, conhecido pelas sua vistas para o Rio Douro , no entanto desiludiu um bocado e para além de estar bastante sujo, tinha também demasiadas pessoas e as vistas não eram assim tão boas…

Sé do Porto:

Fui caminhando até à Sé por ruas e ruelas estreitas, escadarias, subindo e descendo… porque o Porto não é plano…e tendo sempre ao alcance da minha visão o imponente edifício que fica na parte mais alta da cidade!! No entanto, decidi caminhar pela Rua das Flores, que é cheia de vida e repleta de comércio, para tentar descobrir uma pintura urbana, localizada numa rua transversal e conhecida pela rua mais pequena do Porto! A obra ocupa toda a fachada de um prédio, e nela encontramos um gato em tamanho gigante, criada pelo artista galego Liqen, que simboliza o Porto como cidade em movimento, retratado como um gato-cidade. Descobri o gato, mas a luz solar não permitiu visualizar com clareza a obra… por isso o melhor será visitá-la com o sol menos intenso…

Situada no coração do centro histórico da cidade, começou a ser construída a meio do século XII, tendo sofrido várias alterações ao longo dos séculos, possuindo assim diferentes estilos, maioritariamente o Barroco mas também o estilo Românico e Gótico.

Apesar de ter visitado apenas o exterior, é sem dúvida outro miradouro fantástico desta cidade!!

Muralha Fernandina:

Saindo da Sé e caminhando em direcção à Universidade Lusófona do Porto, podemos apreciar várias partes desta construção, classificadas como Monumentos Nacionais e que nos transportam ao passado!!

Jardim do Morro:

Já em direcção a Gaia, e sempre com a Muralha Fernandina presente, caminhei pelo tabuleiro superior da Ponte D. Luis… e que paisagem grandiosa esta ponte nos oferece!!

Ao chegar ao outro lado, na cidade de Vila Nova de Gaia, logo do lado direito temos o Jardim do Morro, que fica mesmo ali colado ao teleférico que desce para o Cais de Gaia! E mais uma vez deparámos com uma paisagem grandiosa das duas cidades e do Douro!! O Jardim é simples, mas bem acolhedor e bem cuidado, com um coreto, um lago (seco) vários turistas, alguns locais e vendedores de rua!!

Mosteiro da Serra do Pilar:

Oposto ao Jardim do Morro e do lado esquerdo da Ponte Dom Luís (Ponte Luiz I), temos mais um exemplar de arquitectura clássica europeia. A construção deste mosteiro data de 1537, composta pela Igreja de planta circular; a Capela-Mor de planta rectangular e do Claustro de planta circular.

A Igreja foi classificada como Monumento Nacional em 1910 e em 1996 o Mosteiro da Serra do Pilar foi classificado como Património Mundial da Unesco.

Este é mais um miradouro e na minha opinião, provavelmente, o melhor para nos deslumbrarmos com o Rio Douro e as zonas históricas de Gaia e do Porto!!

Cais de Gaia e Half Rabbit de Bordalo II:

Inicialmente pensei ir até ao Cais de Gaia pelo teleférico, mas decidi descer pelas ruas e ruelas de Gaia até à beira rio! Aqui o destino era mais uma vez a busca da arte urbana pois conheço muito bem o Cais de Gaia, a obra de Bordalo II, Half Rabbit é o nome desta peça de grandes dimensões feita com lixo!! 🙂

Depois de apreciar a arte de Bordalo II, fiz o percurso pela margem do Douro, atravessei mais uma vez a Ponte Dom Luís, pelo tabuleiro inferior e caminhei pela Ribeira, sítio que sempre gostei e apesar da beleza das duas margens, a Ribeira será sempre a Ribeira e provavelmente onde o coração do Porto está!! Seja de dia ou de noite, o seu encanto nunca desaparece!!

Os km já eram muitos e estava na hora de regressar a casa!! E apesar de estarmos no Outono, o dia estava bem agradável, com algumas nuvens e muito sol!!

O Porto é realmente uma cidade fantástica cheia de cultura, história e muito charme e com muito para explorar e descobrir!! E apesar de estar lotada de turistas continua com o seu encanto!! É uma cidade do Norte!! 🙂

Siga o meu Instagram e Facebook!

Até já!! 😉

2 pensamentos sobre “Porto e Gaia: roteiro de 1 dia

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.